Logo Up4 Invest Logo XP Investimentos
menu

Atendimento
por telefone

19 3835-0814

04
May

Taxa de juros real: entenda como ela influencia seus investimentos

Taxa de juros real: entenda como ela influencia seus investimentos

 

Um dos principais fatores a se considerar antes de optar por um investimento é a rentabilidade. No entanto, em alguns casos, é possível se enganar ao avaliar a taxa de juros oferecida por um ativo. Isso porque existe uma diferença entre a taxa de juros real e a nominal.

Ao entender o conceito de taxa de juros real, você terá condições de aumentar o seu patrimônio com a ajuda dos investimentos. Do contrário, seu dinheiro pode perder valor ao longo do tempo.

Nos tópicos a seguir, será possível compreender o que é taxa de juros real e como ela se contrasta com a taxa de juros nominal. Você verá também o quanto essa questão é importante nas suas escolhas de investimentos. 

Continue a leitura e entenda!

O que é taxa de juros real?

A taxa de juros real representa a correção real de um valor investido quando se desconta a inflação. Para você compreender melhor esse conceito, podemos considerar o exemplo da caderneta de poupança.

Quando a Selic está igual ou abaixo de 8,5%, a poupança tem uma rentabilidade de 70% dessa taxa. Com uma taxa Selic de 2,75%, por exemplo, a rentabilidade da poupança é de 1,92%. Note que, em março de 2021, a inflação acumulada em 12 meses alcançou 5,19%.

É verdade que o valor investido na poupança gera rendimentos. No entanto, estes podem não ser suficientes para repor a perda do poder de compra provocado pela inflação. Por causa dessa desvalorização, seu dinheiro perde valor sem que você perceba isso.

Qual é a diferença entre as taxas de juros real e nominal?

A taxa de juros nominal geralmente é apresentada quando você faz um investimento. No caso da poupança, ao entender que o rendimento é de 1,92%, por exemplo, muitas pessoas não sabem que esse pode não ser o ganho real.

Em outros investimentos de renda fixa, a taxa de juros nominal do investimento é explicitada na aplicação. Já para calcular a taxa de juros real, é preciso considerar a inflação ou estimar o percentual para os meses ou anos à frente.

Para isso, é importante acompanhar as notícias. Naturalmente, não é possível ter certeza de como a inflação se comportará no futuro. De qualquer modo, por se manter informado, você conseguirá fazer uma estimativa.

Como calcular a taxa de juros real?

Mas, como calcular a taxa de juros real? Basta usar uma fórmula, que é bem simples:

taxa de juros real = taxa de juros nominal - inflação

Por exemplo, considere um CDB (certificado de depósito bancário) que tenha um rendimento de 100% da taxa do CDI (certificado de depósito interbancário). Se essa taxa estiver 3% e a inflação for de 5%, a taxa de juros real será negativa, chegando aos -2%.

Fica claro que juros e inflação devem ser considerados em conjunto, certo? Não basta conhecer a rentabilidade nominal, pois ela pode ser bastante diferente da real. Ao fazer esse cálculo, você compreenderá como ficará o seu poder de compra ao longo do tempo.

Quais outras taxas impactam a rentabilidade de um investimento?

Além de considerar a inflação, também é importante ficar atento a cobranças que impactam seu rendimento líquido. Ou seja, aquele que você efetivamente recebe. Por exemplo, o Imposto de Renda afeta a rentabilidade.

Ele faz com que a rentabilidade real seja reduzida ainda mais. Vale lembrar que existem investimentos isentos de IR, como as LCIs e LCAs (letras de crédito imobiliário e do agronegócio) e as debêntures incentivadas. Assim, podem apresentar ganhos líquidos mais atrativos em alguns casos.

Quando o investimento dura menos de 30 dias, você também precisa considerar o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF). Em operações na bolsa de valores, por sua vez, existem taxas das operações — como a de corretagem e os emolumentos. 

É importante estar ciente de todos esses custos, uma vez que eles reduzem o lucro que você obtém na sua carteira.

Como a taxa de juros real influencia os seus investimentos?

Suponhamos que você tenha o objetivo de fazer uma compra daqui a dois anos. Então, guarda o dinheiro na poupança para aproveitar os rendimentos no decorrer desse tempo. Contudo, ao final de dois anos, o montante pode não ser suficiente para comprar o bem desejado.

Afinal, a inflação pode torná-lo mais caro, reduzindo o poder de compra do seu dinheiro. Isso é o que acontece quando a taxa de juros real se torna negativa. Assim, é importante atentar para a diferença entre taxa nominal e taxa real.

A nominal, como vimos, não considera a desvalorização da moeda. Por isso, na hora de avaliar opções, é preciso comparar rentabilidades líquidas para encontrar a melhor alternativa. 

Mas lembre-se de que os lucros não são o único fator relevante. O potencial de rentabilidade do investimento é proporcional ao risco. Por isso, há outras análises a fazer — como você verá a seguir.

Como montar sua carteira de investimentos?

Ao fazer investimentos, sempre considere o seu perfil de investidor. Pessoas de perfil conservador, por exemplo, geralmente preferem alternativas mais seguras. Por outro lado, quem tem um perfil agressivo não se importa de correr riscos maiores, em busca de mais potencial de retorno.

Quem tem um perfil moderado geralmente tolera riscos, mas prefere garantir segurança para boa parte de sua carteira. Conhecendo bem o seu perfil, você poderá encontrar alternativas alinhadas à sua tolerância ao risco.

Além disso, defina objetivos de curto, médio e longo prazo, visto que existem investimentos adequados para cada caso. Geralmente, quando você pode manter o dinheiro investido por mais tempo, é possível encontrar alternativas mais rentáveis.

Por fim, ao incluir investimentos na sua carteira, lembre-se de fazer o manejo do risco por meio da diversificação. Com ela, é possível aproveitar a rentabilidade mais alta de alguns investimentos arriscados, caso eles estejam alinhados com o seu perfil.

Se parte da sua carteira tiver um desempenho ruim, outros investimentos do portfólio ajudarão a equilibrar o desempenho geral. Com uma boa diversificação, você pode obter uma rentabilidade real mais interessante.

Como vimos, é essencial considerar a taxa de juros real antes de fazer um investimento, principalmente quando se trata de objetivos de longo prazo. Por isso, entre os fatores para analisar em um investimento, não deixe de considerar os efeitos da inflação sobre os rendimentos!

Quer saber mais sobre o assunto ou tirar dúvidas sobre a rentabilidade dos investimentos? Entre em contato conosco e fale com um assessor!

Ver todos os artigos