Logo Up4 Invest Logo XP Investimentos
menu

Atendimento
por telefone

19 3835-0814

11
Jul

Perfil Up4: Carolina Nardini

Perfil Up4: Carolina Nardini

No perfil Up4 Invest desse mês você terá a oportunidade de conhecer melhor a assessora de investimentos Carolina Nardini, que tem um portfólio experiente e uma vocação que leva muito a sério: nasceu para fazer o brasileiro investir melhor!

Se existe alguma dúvida de que a assessora de investimentos Carolina Ruete Nardini ama sua profissão, ela rapidamente se dissipa quando a ouvimos dizer: “Nascida para fazer o brasileiro investir melhor”. A frase estampava o crachá de um dos grupos em que a especialista de 26 anos atuou, mas tornou-se uma marca pessoal que Carolina carrega com orgulho. 

No bate-papo de hoje Carolina responde algumas perguntas para que você tenha a oportunidade de conhecer um pouco mais da equipe Up4 Invest e ainda colecionar insights sobre o mercado financeiro, tendências, oportunidades e os erros que não deve cometer.

Senhoras e senhores, conheçam a Carolina:

 

Qual sua formação e experiência?

Carol: Hoje sou Assessora de Investimentos. Atuo no Mercado Financeiro desde 2014, trabalhei nos Bancos ABC Brasil e Citibank, além da Corretora Rico, uma das empresas do Grupo XP. Me formei em Administração de Empresas e Economia, ambos pelo Insper – Instituto de Ensino e Pesquisa. Durante a graduação, fiz intercâmbio na Regent’s University em Londres e no ano posterior retornei à cidade para um estágio na ADM Investor Services. Além disso, sou credenciada junto à CVM como Agente Autônomo de Investimentos e tenho as certificações PQO e CPA20.

 

O que te levou a trabalhar como Assessora de investimentos?

Carol: Durante meu período de corretora em São Paulo, eu fui me apaixonando cada vez mais pela área de assessoria de investimentos. O crachá do grupo tinha uma frase que me marcou muito e que simplesmente conseguiu definir a minha vocação: NASCIDO PARA FAZER O BRASILEIRO INVESTIR MELHOR. Realmente era isso que me movia na corretora e é o que me move como assessora e sócia da Up4 Invest, saber que o meu trabalho realmente muda o dia a dia das pessoas e, além disso, ser sócia e ter algo que é meu.

 

O processo de migração de clientes vindo de bancos continua muito forte, na sua opinião a que se deve esse movimento?

Carol: Estamos passando pela maior baixa história de juros no Brasil, isso evidencia cada vez mais a pouca eficiência dos bancos. Assim, o cliente passa a querer entender mais a razão dessa baixa performance e a fazer comparações. É justamente aí que entra a Up4 Invest e a XP. Desmistificamos a ideia de que só poucas pessoas podem investir e que investimento não é para qualquer um. Deixamos mais claro, apresentamos investimentos de qualidade e fazemos exatamente o que os bancos não fazem: pensar no cliente em primeiro lugar.

 

Vivenciando a baixa histórica de juros no Brasil, qual é sua recomendação para investidores que almejam aumentar a rentabilidade de seus investimentos?

Carol: Com essa baixa história primeiro precisamos analisar a carteira inteira do cliente. Verificar o que podemos melhorar de rentabilidade. Por exemplo, caso o cliente precise de liquidez diária, porém tem um montante no banco em um fundo DI a 80% do CDI, conseguimos propor opções com o mesmo grau de volatilidade/risco, mesma liquidez, mas entregando resultados superiores a 105% do CDI. Caso o cliente queira um plus e tenha perfil para isso, contamos hoje com uma equipe altamente capacitada, especializada e com grande experiencia no setor de Renda Variável, área em que justamente conseguimos dar a “cereja do bolo” na rentabilidade das carteiras.

 

Se você tivesse que apontar o erro mais comum do investidor, qual seria?

Carol:  Hoje o principal erro é duvidar da solidez do Grupo XP e os escritórios credenciados. Muitos bancos se apoiam na afirmação de serem estruturas sólidas e com baixíssimo risco, mas se esquecem que nós fomos construídos exatamente dessa forma e que, inclusive, temos como sócio do grupo um dos maiores bancos privados da América Latina, o Itaú. Mas felizmente esse erro está se diluindo com o passar do tempo, graças a desmistificação citada na questão 2.

 

Entre em contato!

Para falar com a Carolina, acesse nossa área de contato.

Ver todos os artigos