Logo Up4 Invest Logo XP Investimentos
menu

Atendimento
por telefone

19 3835-0814

23
Mar

Hedge: o que é e como proteger seus investimentos em renda variável?

Hedge: o que é e como proteger seus investimentos em renda variável?

Investir em renda variável pode ajudar você a aumentar a rentabilidade da sua carteira de investimentos. No entanto, é essencial se atentar à segurança do seu portfólio e manter o risco em um nível adequado ao seu perfil de investidor.

Por isso, é importante que você entenda o que é hedge e como usá-lo para proteger os seus investimentos. Desse modo, é possível minimizar o impacto dos períodos de crise sobre a sua carteira, entre outros benefícios que você verá neste post.

Para entender o que é hedge e como fazê-lo, continue a leitura!

O que é e para que serve o hedge nos investimentos?

A palavra hedge pode ser traduzida como cerca ou barreira. Por isso, trata-se de uma estratégia que visa oferecer proteção. Nos investimentos, o conceito de hedge está ligado à segurança, um aspecto importante em um portfólio sólido.

Fazer hedge pode ser comparado com um seguro. Afinal, se você se prepara com antecedência protegendo seus investimentos com hedge, o impacto de uma eventual crise pode ser minimizado – especialmente na renda variável.

Lembre-se de que a segurança costuma estar presente em diversos investimentos de renda fixa. Por exemplo, os títulos públicos são garantidos pelo próprio Governo Federal. CDBs (Certificados de Depósito Bancário) e outros títulos de renda fixa são cobertos pelo FGC (Fundo Garantidor de Crédito).

Quem investe em renda variável, por outro lado, precisa encontrar maneiras de proteger seus investimentos. Afinal, ela está sujeita à volatilidade.

Mercado futuro e de opções para hedge

A oscilação de preços era um grande problema quando se tratava de commodities no passado. Produtos como café, soja e milho sofrem variações nas cotações, o que prejudicava o planejamento financeiro dos produtores rurais. 

Por não saberem quanto seus produtos valeriam na época da venda, a volatilidade causava a eles muita incerteza. 
Assim, foi criado o mercado futuro, o qual passou a ser usado também por investidores interessados em fazer hedge financeiro. 

O mercado de opções também pode servir a este objetivo, assim como outras estratégias. Você saberá mais sobre elas mais adiante.

Quais são as vantagens do hedge?

O mercado financeiro está sujeito a imprevistos, o que pode afetar a sua carteira de investimentos. Podem ocorrer eventos de grande magnitude, como foi o caso do avanço da pandemia do novo coronavírus, em março de 2020, por exemplo. 

Outros eventos podem ser mais localizados, afetando apenas algumas ações da sua carteira. Em qualquer caso, ter estratégias de diversificação e hedge permite que você lide com mais estabilidade com as possibilidades de queda. 

Por isso, conhecer as possibilidades de proteger seu portfólio pode ajudá-lo a equilibrar a carteira em situações adversas do mercado. 

Como fazer hedge e proteger investimentos de renda variável?

Como você viu, quem faz investimentos na renda variável tem diversas alternativas à sua disposição para fazer hedge.

Confira as principais!

Diversificação

A diversificação é uma maneira de proteger a sua carteira de ações. Ela envolve fazer o manejo do risco para evitar que todo o portfólio seja impactado por um mesmo evento. Com uma boa diversificação, é possível fazer uma diluição do risco e potencializar a rentabilidade.

Para isso, é importante cuidar para que seus investimentos tenham uma baixa correlação. Uma maneira de conseguir isso é mesclar renda fixa e variável. Além disso, você pode escolher ações entre setores variados. 

Ativos como o dólar e o ouro também são usados para proteção, pois oferecem baixa correlação em comparação com a bolsa de valores. Assim, a valorização deles pode equilibrar sua carteira em momentos de queda nas ações, por exemplo.

Opções

O mercado de opções oferece algumas alternativas a quem quer fazer hedge. Opções são um tipo de derivativo que pode servir para quem quer proteger as ações da sua carteira.

A opção é como um acordo feito entre duas pessoas— lançador e tomador. Quando o tomador adquire uma opção de compra, ele passa a ter o direito de comprar uma ação em determinada data, pelo preço acordado.

No dia do vencimento, se for vantajoso, o tomador pode exercer seu direito de fazer a compra. Caso contrário, basta não comprar a ação em questão, e a opção deixará de existir, sem maiores custos além do prêmio pago inicialmente.

Se o tomador adquire uma opção de venda, ele passa a ter o direito de vender determinada ação pelo preço determinado em uma data futura. É justamente essa negociação que configura uma operação de hedge. 

Se o preço do papel cair, basta vendê-lo pelo preço acordado, evitando o prejuízo decorrente da desvalorização. Mas lembre-se de que o preço da ação também pode subir. Nesse caso, como não seria vantajoso vender pelo preço acordado, basta não exercer o direito de venda.

Contratos futuros

Por fim, temos o mercado futuro, que permite fazer hedge com os derivativos conhecidos como contratos futuros. Nesse mercado, ocorre a negociação de contratos de dólar, de índice, de commodities, e outros.

Como você viu, ele surgiu da necessidade de produtores rurais por uma solução que proporcionasse previsibilidade. Assim, eles poderiam desempenhar suas atividades sabendo exatamente por quanto conseguiriam vender sua produção.

Logo, o mercado futuro teve início na negociação de café, milho, soja, entre outros produtos, por um valor combinado previamente. Atualmente, a liquidação é apenas financeira e, além de commodities, é possível operar comprado ou vendido em outros ativos, como o dólar americano.

Os contratos futuros de dólar podem servir, por exemplo, para alguém que terá um compromisso em dólar dentro de determinado tempo. Nesse período, a moeda pode se valorizar, prejudicando o planejamento financeiro.

Nesse caso, com um contrato de dólar, o investidor pode lucrar com a valorização da moeda e saldar o compromisso. Isso evita a necessidade de arcar com custos que não estavam programados.

O mesmo ocorre com o ouro. A commodity é conhecida por se valorizar em momentos de incertezas no mercado. Assim, pode ser uma alternativa para aqueles que buscam alternativas de hedge para equilibrar o portfólio.

Conclusão

Agora que você sabe o que é hedge, pode tomar as melhores decisões para a sua carteira. A estratégia é individual, e varia de acordo com a necessidade de cada um. Se você quer conhecer as possibilidades que o mercado oferece, vale a pena contar com uma assessoria de investimentos.

Gostou de aprender como funciona o hedge? Entre em contato conosco e fale com um assessor para entender melhor as maneiras de usar o hedge para proteger a carteira!

Ver todos os artigos