Logo Up4 Invest Logo XP Investimentos
menu

Atendimento
por telefone

19 3835-0814

03
Nov

Fundos de Private Equity: conheça e veja como investir

Fundos de Private Equity: conheça e veja como investir

Em busca de rentabilidades maiores — especialmente no longo prazo, muitos investidores costumam alocar parte dos seus recursos em ações. Entretanto, essa não é a única maneira de fazer investimento em empresas. Há também outras possibilidades interessantes no mercado — como os fundos de private equity. 

Bastante diferente das oportunidades do mercado acionário, essa modalidade de investimento funciona em um formato fechado e tem características particulares. Quer saber mais sobre o assunto? Então continue a leitura deste artigo. 

A seguir, você saberá o que são fundos de private equity, como funcionam e como investir nessa alternativa — se fizer sentido para sua carteira. Confira!

O que são fundos de private equity?

Para entender o que é um fundo de private equity, é importante entender o conceito de private equity. Trata-se de um tipo de investimento que surgiu nos Estados Unidos para financiar empresas que já obtêm lucros consistentes, mas não cumprem os requisitos para abrir capital na bolsa de valores.

Portanto, o private equity se refere às empresas que não têm ações negociadas no mercado financeiro — ou seja, são de capital fechado. É por isso que a tradução livre significa “ativo privado” ou “patrimônio privado”. 

Assim, os fundos de private equity são uma modalidade de investimento que tem como objetivo investir em companhias de capital fechado. Normalmente, são negócios em fase de desenvolvimento ou de reestruturação que precisam de investimentos para facilitar seu crescimento. 

No entanto, diferentemente de outros fundos tradicionais, a meta do private equity não é apenas injetar dinheiro em uma empresa. Também existe uma participação ativa na sua administração —visando trabalhar em prol da consolidação das companhias no mercado e franco crescimento.

Com os objetivos alcançados, o fundo poderá vender sua participação por um preço maior do que foi aportado, proporcionando bons retornos para os cotistas. Esse desinvestimento também pode ocorrer via oferta pública inicial (IPO) — caso haja a oferta de ações na bolsa, fusão ou compra da empresa por outro fundo.

Como funcionam esses fundos?

Agora que você já sabe o que são fundos de private equity, é o momento de compreender como eles funcionam. Tudo começa com a captação de recursos junto aos investidores que se dispõem a aportar no fundo.

Com o montante necessário, o gestor começa a compor o seu portfólio. Para tanto, ele analisa as empresas que apresentam um bom potencial de crescimento com base em seus fundamentos. Na sequência, ocorre a negociação.

Depois do acordo fechado, o fundo, na figura do gestor, passa a participar de forma ativa na administração do negócio. Como você pode imaginar, esse processo tende a ser longo. Por isso, esse é um investimento cujos retornos tendem a acontecer somente no longo prazo. 

Quais as diferenças em relação a outros fundos de investimento?

Além do private equity, existem outras maneiras de investir em empresas de capital fechado. É o caso do venture capital. Inclusive, é comum que eles sejam abordados como se fossem sinônimos. Entretanto, há diferenças consideráveis.

Os fundos de venture capital também preveem a participação no gerenciamento das companhias. Contudo, essa é uma modalidade de investimento focada em outro nível de negócios.

No venture capital, o objetivo é recursos para aportar em empresas de pequeno porte, negócios em estágio inicial e até mesmo startups. No privaty equity, por outro lado, fazem parte do fundo negócios mais consolidados — como você viu. Logo, os riscos de investir em venture capital podem ser maiores, especialmente relacionados ao estágio de desenvolvimento das empresas que o compõe.

Quais são as vantagens e riscos dos fundos private equity?

Os fundos private equity apresentam vantagens que podem interessar muitos investidores. Uma delas é a oportunidade de obter bons retornos com a valorização das empresas a longo prazo. Além disso, eles podem ser utilizados como uma estratégia para diversificar a carteira.

Entretanto, também há riscos nesse aporte. O primeiro tem relação com o fato de esse ser um investimento de renda variável. Logo, ele é altamente volátil, se comparado com alternativas de renda fixa. Outro risco é a possibilidade do negócio não trazer os retornos esperados. 

Também há o risco de o retorno levar um tempo maior do que o previsto, atrapalhando o planejamento do investidor. A liquidez limitada também precisa ser considerada. Por isso, antes de investir nessa modalidade, é importante avaliar suas vantagens e riscos.

Para qual perfil de investidor pode ser adequado?

Por conta dos riscos envolvidos, os fundos de private equity estão disponíveis apenas para investidores qualificados. Essa é uma classificação estabelecida pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM), que considera esse investidor preparado para assumir riscos maiores.

Para se tornar um investidor qualificado é necessário atender a um dos dois critérios:

  • possuir mais de R$1 milhão investidos no próprio nome; ou

  • ser um profissional certificado do mercado financeiro.

Entretanto, mesmo se você já tiver o título de investidor qualificado, não deixe de analisar o seu perfil e entender se esse tipo de investimento é adequado para os seus planos. 

Como investir nos melhores fundos de private equity?

Se você acredita que os fundos de investimento compostos por empresas private equity possam ser uma opção interessante para a sua carteira, então precisa entender como investir neles. 

O primeiro passo é analisar seu perfil de investidor e planos. Como vimos, se você não for muito tolerante aos riscos, os fundos private equity podem não ser uma boa alternativa. 

O mesmo pode ser dito em relação à liquidez. Afinal, esse tipo de investimento normalmente tem prazos longos, que podem variar entre 5 e 10 anos. Logo, é preciso avaliar se os seus planos incluem projetos mais longínquos.  

Depois de alinhar seu perfil e objetivos, é preciso buscar as opções disponíveis no mercado para analisar as estratégias e características de cada fundo. Neste momento, não deixe de avaliar também a qualificação do gestor. 

Afinal, ele terá um papel fundamental na administração das empresas que compõem o fundo. Além disso, é interessante buscar uma assessoria de investimento para sanar suas dúvidas antes de realizar aportes.

Ao conhecer os fundos de private equity, você sabe que tem novas possibilidades para investir em empresas. Para tanto, lembre-se de analisar suas características enquanto investidor e as alternativas disponíveis no mercado para tomar a melhor decisão para sua carteira.

Quer ajuda para entender melhor essa modalidade? Entre em contato com a Up4 Invest e conheça nosso serviço de assessoria!

Ver todos os artigos