Logo Up4 Invest Logo XP Investimentos
menu

Atendimento
por telefone

19 3835-0814

27
Nov

Fundo Multimercado: por que investir

Fundo Multimercado: por que investir

Renda fixa, câmbio, ações de empresas, derivativos e outros ativos podem compor um tipo de investimento chamado fundo multimercado. Saiba mais!

Indicado para quem gosta de distribuir seu capital nas diferentes alternativas oferecidas pelo mercado financeiro, os fundos multimercados podem agradar a quem gosta de ter uma carteira variada e não tem problemas em colocar um pouco mais de risco na hora de investir.

 

O que é um fundo multimercado?

O fundo multimercado é uma aplicação que tem como um dos principais atrativos a liberdade de investimento.

Isso acontece porque ele é composto por diferentes ativos, podendo mesclar investimentos diversos, como ações, CDBs, títulos públicos ou privados, câmbio e derivativos.

Esse tipo de investimento visa diversificar a carteira do cliente, com o intuito de atingir uma rentabilidade maior. Em contrapartida, tem, em geral, um maior risco, já que está atrelado às oscilações do mercado.

Por isso, para que o investidor tenha uma rentabilidade satisfatória, é importante que o dinheiro seja confiado a um gestor competente.

 

Como funciona o fundo multimercado?

Além de poder variar os ativos, os fundos multimercados possuem um diferencial quanto ao seu funcionamento na hora de escolher e gerir o capital investido.

Nesse tipo de aplicação, você não tem uma participação ativa, ou seja, não é você quem cuidará dos investimentos, mas sim um gestor especializado que ficará responsável por aplicar o seu dinheiro depois de analisar quais são os melhores ativos de acordo com a estratégia do fundo.

Mesmo depois que o dinheiro é aplicado, o gestor ainda tem a liberdade de mudar a composição dos investimentos, conforme as mudanças que podem acontecer no cenário econômico. Tudo para buscar o melhor portfólio.

 

Quais os tipos de fundos multimercados?

Entre as possibilidades de investimento que os fundos multimercados oferecem, podem fazer parte da carteira do cliente desde aplicações muito conservadoras (com riscos mais baixos), até aquelas mais agressivas (com um índice maior de risco).

Por exemplo: os fundos de alocação, que se subdividem em balanceados e dinâmicos, têm em comum o retorno a longo prazo e a possibilidade de investir em vários tipos de ativos, como ações, câmbio e renda fixa.

Também existem as diferentes estratégias que podem ser adotadas pelo gestor, que são conhecidas como: macro, trading, long & short, neutro, juros e moedas, livre, capital protegido, estratégia específica e investimento no exterior.

Dessa forma, o gestor responsável pelos seus investimentos deve estudar a melhor estratégia.

 

Quais são os custos para investir em fundo multimercado?

Para se investir em fundo multimercado, alguns custos estão envolvidos. Além da taxa de administração, há outras três taxas que não são fixas, mas que podem vir a ser cobradas nos seguintes casos:

– Taxas de Performance: essa taxa é cobrada apenas quando o investimento gera um lucro para o investidor acima do que prevê uma taxa de referência do mercado financeiro. Em termos práticos, essa cobrança é direcionada ao administrador como forma de bonificação pelo bom desempenho do trabalho.

– Taxa de Saída: é cobrada quando o cliente quer readquirir o dinheiro investido antes do prazo definido para aquele ativo. No entanto, ela vale somente quando há um tempo mínimo pré-determinado.

– IOF: O Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) é uma taxa cobrada para os clientes que resolverem tirar dinheiro de algum investimento antes do prazo de 30 dias da aplicação. O percentual de IOF cobrado sobre os ganhos do investidor pode variar dependendo de quantos dias se passaram.

 

Tributação do Fundo Multimercado

A tributação dos fundos multimercados é proporcional ao prazo de aplicação dos investimentos contabilizados em dias. Quanto maior for o prazo, menor é a alíquota a ser paga.

Para os fundos de curto prazo, é cobrado o imposto de renda de 22,5% em aplicações que permanecem por até 180 dias e de 20% em aplicação que permanecem por 181 dias ou mais (até o limite de 365 dias).

Já para os fundos de longo prazo, é cobrado um tributo de 22,5% em aplicações que permanecem por até 180 dias, 20% em aplicação que permanecem de 181 a 360 dias; 17,5% em aplicações que permanecem de 361 a 720 dias e, por fim, 15% em aplicações que permanecerem por 721 dias ou mais.

Além desse tributo, existe o come-cotas, que são a parte do Imposto de Renda (IR) que o governo recebe antecipadamente a cada seis meses, sempre nos meses de maio e novembro. Para os investimentos de curto prazo, a alíquota é de 20%, e para os investimentos de longo prazo, de 15%.

 

Onde investem os fundos multimercados e quais são os riscos?

Os fundos multimercados possuem uma política de investimentos com vários fatores de risco e sem ter o compromisso de se concentrar em algum tipo de investimento específico.

Podem investir em ativos de diferentes mercados – renda fixa, câmbio e ações, por exemplo – e usar derivativos para alavancagem e proteção da carteira.

Esse tipo de fundo possui maior liberdade de gestão em busca de um rendimento maior, por isso possuem um nível de risco mais elevado.

Um processo importante para os investimentos dos fundos multimercados é a alavancagem. Ela consiste em uma manobra para tentar aumentar os resultados dos seus investimentos, utilizando ferramentas e oportunidades externas.

Nesse procedimento, o gestor administra uma quantia alta, muito maior do que a que está investindo. O risco da alavancagem são os extremos: se tudo correr como esperado, haverá um bom retorno. Mas, caso algo dê errado, o prejuízo pode ser igualmente grande.

 

Como escolher um fundo multimercado e o que saber sobre ele antes de investir

Analisar seu perfil de investidor e seus objetivos é o primeiro passo antes de qualquer investimento.

Feito isso, é importante prestar atenção nas taxas que podem ser cobradas, como a taxa de administração e a taxa de performance. Isso vai te indicar  se são compatíveis com a estratégia.

Em seguida, busque o máximo de informações sobre o fundo. Foque em qual foi o desempenho que ele teve ao longo dos anos e se proporcionou resultados satisfatórios.

Além disso, existem estratégias adotadas pelo gestor que podem trazer maiores riscos para a aplicação. Por isso, é importante que o cliente esteja atento e leia cuidadosamente o prospecto do fundo (seu próprio regulamento). Assim, você vai entender melhor o funcionamento daquele investimento, suas estratégias e ver se ele se adequa às suas perspectivas e se os níveis de riscos são altos.

A volatilidade e a liquidez também são aspectos importantes para serem analisados antes de se escolher um fundo multimercado.

A primeira, diz respeito às oscilações que o fundo pode ter, tanto para cima quanto para baixo, tomando como ponto de referência a média de rentabilidade dele. Isso quer dizer que, quanto maior a volatilidade do fundo, maiores são os riscos, principalmente no curto prazo.

Já a liquidez é o tempo que o seu investimento demora para se transformar em cotas. E também quantos dias é necessário para que essas cotas se convertam em dinheiro. Essa liquidez muda muito para cada tipo de fundo, por isso é importante ficar atento.

 

Perfis para investir em fundos multimercados

Os fundos multimercados possuem riscos que variam bastante. Assim como os fundos de renda fixa, também existem alternativas com baixo nível de risco.

Existem também alguns fundos considerados mais agressivos que podem ser mais arriscados até mesmo que alguns fundos de ações.

Já os fundos multimercados moderados e arrojados são voltados para investidores com esses perfis. O objetivo então é o longo prazo e a busca por uma rentabilidade diferenciada para melhorar a construção do portfólio.

Para todos os casos, os multimercados são alternativas de diversificação para investidores que entendem os riscos e já possuem outros investimentos mais conservadores.

 

Quais são as vantagens do fundo multimercado?

As vantagens do fundo multimercado podem ser resumidas aos seguintes pontos:

– Gestão de um profissional capacitado, que cuidará dos investimentos com liberdade para buscar sempre a melhor opção.
– Diversidade de investimentos e a liberdade para mesclá-los
– Diversidade de estratégias
– Manobra de alavancagem
– Alternativas de liquidez
– Rentabilidade geralmente superior ao CDI

Ver todos os artigos