Logo Up4 Invest Logo XP Investimentos
menu

Atendimento
por telefone

19 3835-0814

26
May

Debêntures: o que são, como funcionam e como investir?

Debêntures: o que são, como funcionam e como investir?

 

Quem busca investimentos pertencentes à classe de renda fixa pode se interessar em saber o que são as debêntures. Esses títulos costumam fazer mais sentido para perfis conservadores e moderados, mas também podem ser incluídas na carteira de investidores de perfil arrojado.

Assim, aqueles que desejam potencializar a rentabilidade em investimentos que ofereçam maior segurança podem se beneficiar em entender como as debêntures funcionam e quais são os seus principais tipos. Afinal, com conhecimento, há como compor um portfólio mais sólido e diversificado — alinhado às suas expectativas.

Quer saber mais? A seguir, você aprenderá o que são debêntures, quais são as principais características dessa alternativa e como investir nesses títulos. 

Acompanhe!

O que são debêntures? 

As debêntures são títulos de renda fixa que representam certificados de dívidas emitidos por empresas públicas ou privadas. Dessa maneira, quando o investidor faz o aporte em uma debênture ele está, na prática, emprestando dinheiro à empresa emissora. 

Para remunerar o investidor, o dinheiro investido deve ser devolvido no prazo combinado, acrescido da rentabilidade. A forma como essa rentabilidade ocorre já é conhecida desde o momento do aporte. Portanto, as debêntures são consideradas investimentos previsíveis e que oferecem maior segurança. 

Como as debêntures funcionam? 

Agora que você sabe o que são as debêntures, é possível conhecer o seu funcionamento. Para a emissão delas, as empresas precisam passar por um processo regulamentado pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Assim, as emissões serão autorizadas pelo órgão, que avaliará a capacidade de pagamento, o número de títulos emitidos e suas principais regras. Além da segurança institucional, as debêntures podem oferecer garantias de pagamento — ou não.

Então o investidor pode avaliar o risco de crédito para entender qual é a segurança do pagamento relacionado à determinada debênture. Assim como todos os títulos de crédito, existe uma relação de credor e devedor nesse investimento.

A empresa emissora se torna devedora dos investidores quando eles aportam em debêntures. Logo, o investimento em debêntures não se confunde com a compra de ações de uma empresa, pois a lógica entre investidor e emissor é diferente.

Assim, apesar de ações e debêntures poderem ser emitidas pela mesma empresa, trata-se de investimentos com características bem diferentes. As ações representam uma parte do capital social da companhia — e seus preços flutuam conforme a oferta e demanda na renda variável.

Já as debêntures são emitidas como títulos de dívida da renda fixa e possuem uma lógica de rentabilidade conhecida previamente. Desse modo, elas terão prazo certo e previsibilidade de ganhos para os investidores, não variando conforme a oferta e demanda.

Quais são os tipos de debêntures?

Outra informação relevante sobre as debêntures se refere aos tipos que podem ser emitidos. Eles se diferenciam por alguns fatores, como a forma de pagamento e as questões tributárias relacionadas.

Nesse sentido, as debêntures simples são os títulos que não podem ser convertidos em ações da empresa emissora. Assim, o investidor deve fazer o resgate no prazo combinado ou negociá-las em mercado secundário, entre investidores.

Já as debêntures conversíveis são aquelas em que é possível converter o título em ações da empresa emissora conforme as regras do mercado. Existem, ainda, as debêntures permutáveis — que permitem a conversão em papéis de outras empresas listadas na bolsa de valores brasileira, a B3. 

Por fim, há as debêntures incentivadas. Esse tipo de título garante a isenção de Imposto de Renda (IR) sobre o ganho de capital para as pessoas físicas. No entanto, existem diversos requisitos para que elas possam ser emitidas.

As empresas devem cumprir as regras da Lei n.º 12.431 de 2011. Nesse caso, os recursos captados com a negociação dessas debêntures precisam servir para financiar obras e serviços de relevância nacional — como no setor de infraestrutura.

Quais são as principais características das debêntures?

Depois de entender como funcionam as debêntures, você precisa conhecer suas principais características para ter mais embasamento nas suas decisões de investimentos. 

Veja só:

Rentabilidade

Como você viu, o cálculo de rentabilidade das debêntures é previsível. Como é comum em títulos de renda fixa, o rendimento pode acontecer de 3 formas distintas:

  • prefixada: os ganhos são descritos em um percentual fixo. Por exemplo: 15% ao ano;

  • pós-fixada: a rentabilidade está atrelada a um índice financeiro definido pelo emissor. Por exemplo: 100% do CDI (Certificado de Depósito Interbancário);

  • híbrida: reúne características das duas anteriores. Ou seja, ela é atrelada a um índice financeiro somado a um percentual fixo. Por exemplo: IPCA + 5% ao ano.

Quem define a rentabilidade, o índice escolhido ou seus percentuais é a própria empresa emissora. Por isso, é possível encontrar debêntures com diversos tipos de rentabilidade no mercado.

Liquidez

A liquidez é uma característica que trata da facilidade com que o investimento é transformado em dinheiro pelo investidor. No caso das debêntures, é comum que os títulos possam ser resgatados apenas na data de vencimento combinada.

Logo, eles têm liquidez baixa e o resgate antecipado só acontece no mercado secundário. Em aplicações que permitem o resgate antecipado, é preciso verificar as regras definidas pelo emissor. Isso porque pode haver um período de carência — prazo em que não é possível resgatar o título.

Tributação

Outra característica importante sobre as debêntures é a tributação aplicada. Como você aprendeu, as debêntures incentivadas são isentas de Imposto de Renda. Contudo, os outros tipos sofrem o recolhimento desse imposto sobre o ganho de capital.

Nesses casos, as alíquotas seguem a tabela da renda fixa aplicadas de forma regressiva, conforme o prazo do investimento. Ela começa em 22,5% para os resgates efetuados em até 180 dias e chega a 15% para os resgates posteriores a 720 dias.

Como investir nesses títulos?

Se você gostou de saber o que são as debêntures e ficou interessado em investir nelas é necessário entender como fazer esse aporte. Para isso, o primeiro passo é abrir conta em uma boa corretora de valores, e acessar o portfólio da instituição.

As corretoras são responsáveis por distribuir os títulos e podem oferecer alternativas de diversas empresas. Então basta avaliar as opções, verificar suas características e decidir qual aplicação faz mais sentido para o seu perfil de investidor e objetivos.

Para uma tomada de decisão mais sólida, pode ser interessante avaliar o rating das companhias emissoras. Assim, há como identificar melhor os riscos de a empresa que emitiu as debêntures não honrar com seu compromisso perante o investidor.

No momento de conhecer as alternativas do mercado, a ajuda de uma assessoria de investimentos pode ser muito útil. Os assessores oferecem suporte para quem deseja conhecer as debêntures disponíveis no mercado e tomar decisões mais adequadas para o portfólio.

Pronto! Agora você já sabe o que são as debêntures, como elas funcionam e como investir. Conhecendo suas principais características, é possível identificar se esses títulos estão alinhados à sua carteira e se podem ajudá-lo a alcançar seus objetivos.

Ficou interessado em contar com uma assessoria de investimentos nessa jornada? Então fale com a UP4 Invest!

 

 

Ver todos os artigos