Logo Up4 Invest Logo XP Investimentos
menu

Atendimento
por telefone

19 3835-0814

01
Mar

Como otimizar o rendimento da sua carteira de investimentos?

Como otimizar o rendimento da sua carteira de investimentos?

A rentabilidade não deve ser o único fator de análise na composição da carteira de investimento. Ainda assim, o rendimento tem importância central e muitos investidores buscam maneiras de otimizar seu resultado.
Para conseguir um aumento no retorno, é preciso ter atenção quanto à tomada de decisão. Afinal, ele está intrinsecamente ligado aos riscos e ao alcance de objetivos, o que demanda cuidado na sua escolha.
A seguir, veja como é possível melhorar o rendimento da sua carteira de investimentos e compreenda as características do processo!

Adote o tripé dos investimentos

Para montar sua carteira de investimentos você pode ter diversos objetivos. Se um deles é aumentar a rentabilidade, é preciso saber como avaliar as oportunidades. Para tomar as decisões você deve conhecer o tripé dos investimentos.
Ele traz três perspectivas principais para um investimento: rendimento, segurança e liquidez. Pelo conceito, só é possível maximizar um ou dois desses pontos, em detrimento dos outros.
Na prática, significa que se você quiser um investimento rentável e seguro, provavelmente ele terá baixa liquidez, por exemplo. Já se quiser uma aplicação rentável e líquida, os riscos aumentarão. Por fim, um investimento seguro e líquido tende a apresentar um retorno menor.
Isso é importante para definir do que pretende abrir mão, considerando as opções de investimento, para obter o rendimento desejado. Já que não é possível alcançar o máximo dos três aspectos simultaneamente, a necessidade de concessão ajuda a orientar a tomada de decisão.

Recorra à diversificação da carteira de investimentos

Se o seu interesse é potencializar os ganhos, convém adotar a diversificação de investimentos como estratégia. Afinal, como vimos, as maiores rentabilidades se relacionam a maiores riscos. Assim, é preciso saber manejá-los. 
A diversificação consiste em selecionar alternativas variadas e descorrelacionadas. Além de pensar nas diferenças entre renda fixa ou variável, é importante selecionar ativos de mercados diferentes e com potenciais de retorno distintos. 
Para entender melhor, considere um título de renda fixa e as ações da bolsa de valores. Quando a taxa de juros aumenta, o título pós-fixado se torna mais rentável. Já quando os juros caem, as ações tendem a se valorizar e a renda variável ganha destaque. 
Portanto, as duas alternativas seguem em direções opostas. Mesclá-las na carteira pode ser útil para ganhar em diferentes cenários do mercado.
Além de favorecer a rentabilização de carteira, a diversificação como estratégia de investimento reduz os riscos. Como seu patrimônio não fica exposto a apenas uma condição, perdas podem ser compensadas por ganhos, reduzindo impactos no desempenho.

Explore alternativas do mercado

Até aqui, você viu que é necessário considerar o tripé dos investimentos na hora de investir e que também é preciso diversificar. Para colocar isso em prática é necessário conhecer quais são os produtos disponíveis, certo?
Pensando em renda fixa, podem-se escolher títulos públicos ou privados, como Tesouro Selic ou o Certificado de Depósito Bancário (CDB). Também há alternativas do crédito privado, como Debêntures e Certificados de Recebíveis.
Na renda variável, há o investimento em ações e fundos de investimento diversos, como os Fundos Imobiliários, Fundos de Índice (ETFs) e Fundos de Ações. Os Fundos Multimercados, por sua vez, podem apresentar estratégia híbrida, investindo tanto em renda fixa quanto em renda variável.
Fique atento: o rendimento dos investimentos varia de acordo com suas características, como volatilidade e exposição ao risco. Então é preciso conhecer muito bem cada possibilidade para compor sua carteira.

Avalie o perfil 

Ainda que sua meta seja melhorar o rendimento, isso não significa apenas selecionar as possibilidades com taxas ou rentabilidades maiores. Antes de tomar a decisão de alocar recursos é fundamental garantir que as escolhas estejam alinhadas com a sua abertura ao risco. 
Não basta buscar uma alternativa atraente do ponto de vista do rendimento se ela não for adequada para a sua realidade. Inicialmente, você deve identificar o seu perfil de investidor, o qual depende do seu nível de tolerância ao risco. 
O perfil pode ser de três tipos:

  • conservador: é o investidor que prioriza a segurança e a liquidez, mesmo que isso prejudique a rentabilidade, por ter baixa tolerância ao risco;
  • moderado: representa quem busca o equilíbrio entre risco e retorno, estando disposto a se arriscar um pouco mais em troca da chance de ganhar mais;
  • arrojado ou agressivo: aponta para o investidor que tem a maior tolerância ao risco e que está disposto a se arriscar para rentabilizar a carteira.

Assim, um perfil conservador fará escolhas diferentes de alguém arrojado, ainda que ambos tenham o objetivo de melhorar a rentabilidade. Enquanto o segundo pode focar a maior parte do capital na renda variável, o primeiro procurará alternativas de renda fixa com maiores taxas, por exemplo.

Considere seus objetivos

Também é importante estabelecer seus objetivos financeiros. Isso porque nem todos eles combinam com rentabilidades altas. A reserva de emergência é um exemplo de quantia que deve estar investida com segurança e liquidez.
O mesmo vale para alguns objetivos de curto prazo, que se você investir em ativos arriscados pode ter perdas significativas na data do resgate. Assim, para buscar mais rentabilidade (com maior risco) vale entender que um prazo maior ajuda a diluir os riscos e aumentar o retorno obtido.

Realize aportes frequentes

Agora que você entende o impacto do longo prazo na sua carteira de investimentos, é possível buscar formas de aproveitá-lo de modo mais intenso. Nesse caso, uma estratégia que pode ajudar a ampliar o retorno é a realização de aportes frequentes.
Ao realizar investimentos com regularidade, você consegue fazer com que seu patrimônio cresça de maneira consistente. Com isso, o retorno sobre os valores investidos se torna proporcionalmente maior.

Conte com o suporte da assessoria de investimentos

Diante do objetivo de otimizar o rendimento da carteira de investimentos, é importante tomar decisões estratégicas e que favoreçam o alcance de resultados. Porém, com tantas alternativas no mercado, nem sempre é fácil saber o que fazer.
Para melhorar o processo, é interessante recorrer a uma assessoria de investimentos. Os assessores, que são profissionais qualificados e experientes, não recomendam investimentos e nem montam a sua carteira. Mas podem tirar dúvidas e ajudar a entender oportunidades disponíveis no mercado.
Com esse apoio, há como ter mais segurança quanto às alternativas disponíveis no mercado. A partir das informações de qualidade, você pode tomar suas decisões e compor o portfólio de modo a atingir seus interesses.
Como você viu, otimizar o retorno da sua carteira de investimentos requer decisões estratégicas e solidificadas. Ao conhecer o conceito do tripé dos investimentos e suas características como investidor – e ao contar com o suporte de uma assessoria, o processo se torna muito mais eficiente!
Quer outras dicas para orientar suas escolhas de investimento? Então veja como montar um portfólio de investimentos de maneira responsável!

Ver todos os artigos