Logo Up4 Invest Logo XP Investimentos
menu

Atendimento
por telefone

19 3835-0814

20
Aug

Como investir no Tesouro Direto?

Como investir no Tesouro Direto?

O Tesouro Direto é um dos investimentos mais procurados pelo investidor que deseja aplicar em uma alternativa segura e com rendimentos melhores que a Poupança. Um dos principais motivos é que ele é considerado um dos investimentos mais seguros do mercado.

Uma carteira de investimentos diversificada oferece maior possibilidade de retorno e, o mais importante, maior segurança.

Quando você investe todo seu dinheiro em apenas uma alternativa, você assume o risco de que, se esse investimento for mal, todo o seu dinheiro estará comprometido.

Por isso, conhecer outras opções de investimento e contar com orientação profissional na hora de dividir seu dinheiro entre as alternativas é essencial para controlar os riscos do seu investimento. E uma dessas opções que acaba se tornando bastante atrativa para muitos investidores é o Tesouro Direto.

Entre as principais vantagens dessa opção estão: 

  • Não é preciso muito dinheiro para investir: É possível aplicar em títulos públicos a partir de R$30,00.
  • Possui boa rentabilidade: O Tesouro Direto pode render mais que o dobro da Poupança.
  • Recebimento de juros semestrais: Algumas opções de títulos oferecem a possibilidade de receber os juros semestralmente.
  • Proteção contra inflação: Nos títulos do Tesouro IPCA, o seu rendimento será sempre acima da inflação.
  • Aplicação programada: É possível programar aplicações para uma data específica ou periodicamente.
  • Os títulos podem se valorizar: Além da rentabilidade oferecida pelo investimento, o preço do seu título também pode se valorizar. Então, você pode vendê-lo por um preço mais alto que comprou.
  • Resgate a qualquer momento: Caso precise do dinheiro para alguma urgência, é possível revender o título para o governo e resgatar o dinheiro de volta.

 

O que são títulos públicos

Os títulos públicos são emitidos pelo governo federal, que tem como objetivo juntar dinheiro para pagar e financiar suas atividades, como educação, saúde e infraestrutura.

Assim, quando uma pessoa compra um título público, está emprestando dinheiro ao governo. O órgão responsável pela emissão dos títulos é a Secretaria do Tesouro Nacional.

 

Como investir em Tesouro Direto?

As pessoas podem comprar títulos de duas maneiras. A primeira delas é participando de um fundo que invista neles. Nesse caso, a compra dos títulos é realizada por um administrador profissional. 

A segunda forma é comprar diretamente na Secretaria do Tesouro, pela Internet, por meio de um serviço chamado Tesouro Direto. 

Para realizar essa compra direta, a pessoa precisa ter CPF (Cadastro de Pessoa Física) e estar cadastrada em um banco ou corretora habilitados a operar o Tesouro Direto. Esses operadores habilitados são chamados agentes de custódia. 

O cadastro em um banco ou corretora também é necessário para quem investe por meio de um fundo. Nele, deve ser informado nome, profissão, endereço e entregues cópias do RG, CPF e comprovante de residência do investidor. Assim, a corretora abre uma conta desse investidor na BM&FBovespa. Cada instituição determina qual a quantia mínima para a abertura da conta. 

Para quem opta pela compra direta, depois de feita a inscrição em um destes bancos ou corretoras, o investidor recebe uma senha para ter acesso à operação pela Internet. A negociação é feita no site do Tesouro Direto. 

Os títulos públicos podem ser prefixados (nesse caso, o rendimento é definido no momento em que é feito o investimento) ou pós-fixados (isso significa que a rentabilidade está associada a algum índice, como o IPCA ou a taxa Selic, por exemplo). Quando comprados, os títulos têm um prazo de vencimento, que significa o dia em que o governo pagará ao investidor o dinheiro que ele investiu. 

O investidor também pode negociar os títulos antes dessa data, mas receberá o valor de mercado do título naquele momento, que pode ser maior ou menor que o estipulado para o vencimento. No caso dos títulos, o dinheiro é depositado ou retirado na conta do investidor no dia seguinte ao da ordem de venda ou compra.

 

Conheça os títulos do tesouro direto

O Tesouro Direto oferece diferentes opções para o investidor. Cada um dos títulos do governo possui características diferentes e pode ser mais indicado para um momento ou objetivo diferente

Entenda quais são os títulos e como eles funcionam:

 

Tesouro Direto Selic

Antigamente chamada de LFT (Letra Financeira do Tesouro), o Tesouro Selic é a opção mais conservadora dos títulos públicos. A sua rentabilidade é baseada na taxa básica de juros da economia, a Taxa Selic. Isso quer dizer que a rentabilidade poderá variar. O valor a receber pode ser previsto de acordo com o valor da Taxa Selic, mas a quantia exata só será conhecida no momento de resgatar o investimento.

Esse título é ideal para momentos em que a taxa de juros tende a subir e para o investidor que não sabe quando precisará do dinheiro.

 

Tesouro Prefixado

Antiga LTN (Letra do Tesouro Nacional), o Tesouro Prefixado possui rentabilidade fixada, antecipadamente, no momento da compra. A sua rentabilidade não depende de nenhuma taxa ou indicador do mercado. Isso quer dizer que a rentabilidade será uma taxa fixa e não irá variar.

Esse título é ideal quando a taxa de juros já está alta, ou tende a cair, e para o investidor que não precisará do dinheiro antes do vencimento.

 

Tesouro Prefixado com Juros Semestrais

Antiga NTN-F (Nota do Tesouro Nacional Série F), o Tesouro Prefixado com Juros Semestrais também possui rentabilidade definida no momento da compra, sem variar ao longo do tempo. A diferença é que o investidor tem a opção de receber os juros semestralmente.

Esse título é ideal para momentos em que a taxa de juros já está alta, ou tende a cair, e para o investidor que busca rentabilidades periódicas.

 

Tesouro IPCA

Antiga NTN-B Principal (Nota do Tesouro Nacional série B), o Tesouro IPCA possui parte da rentabilidade fixa e parte variável, baseada no índice oficial da inflação, o IPCA. Isso quer dizer que a sua rentabilidade estará sempre superior à inflação. O valor exato não é totalmente conhecido no momento da aplicação, mas pode ser previsto.

Esse título é ideal para momentos em que a tendência é de alta da inflação e para o investidor que procura proteger seu dinheiro dessa alta.

 

Tesouro IPCA com Juros Semestrais

Antiga NTN-B (Nota do Tesouro Nacional série B com Juros Semestrais), o Tesouro IPCA com Juros Semestrais também possui a rentabilidade composta por taxa prefixada + IPCA. A diferença é que o investidor tem a opção de receber os juros semestralmente.

Esse título é ideal para momentos em que a tendência é de alta da inflação e para o investidor que procura rentabilidades periódicas.

 

Quer começar agora?

Entre em contato com nossa equipe para que possamos fazer uma avaliação do seu perfil e das melhores opções de investimento para seus objetivos!


 

Ver todos os artigos