Logo Up4 Invest Logo XP Investimentos
menu

Atendimento
por telefone

19 3835-0814

01
Dec

Ciclos de mercado: como funcionam e qual a importância?

Ciclos de mercado: como funcionam e qual a importância?

 

Começar a investir é um passo importante na vida de uma pessoa. Afinal, é uma das formas de conseguir aumentar seu patrimônio e alcançar a liberdade financeira. No entanto, para aumentar as chances de sucesso em sua jornada como investidor, é importante conhecer os ciclos de mercado.

Isso porque os resultados de um investimento podem depender de quando ele foi realizado. Investir em uma ação que já subiu demais, por exemplo, pode não ser tão vantajoso. Afinal, para todo movimento de alta, é esperado uma correção.

Portanto, se você quer aprender mais sobre o momento ideal para fazer um investimento, prossiga com a leitura deste artigo. Nele, você entenderá melhor os ciclos de mercado, como funcionam e a importância de conhecê-los.

Vamos lá?

O que são ciclos de mercado?

Se você já acompanha o mercado ou está estudando sobre ele, já deve ter percebido que os preços na renda variável não evoluem em uma linha reta. Ao contrário, é comum observar a sua evolução em zigue-zague. Ou seja, em um gráfico é possível observar momentos de alta e outros a baixa.

Cada um desses momentos representa um ciclo de mercado — ao observá-los, você também notará que eles se repetem. Logo, saber fazer a leitura do atual momento do mercado permite deduzir os movimentos que poderão ocorrer em breve e aproveitar esse timing para se posicionar.

No entanto, é preciso ter em mente que o mercado pode se comportar de forma diferente da projetada. Portanto, a realização de um investimento não deve ser pautada apenas na análise do ciclo de mercado, mas em um conjunto de fatores e estratégias.

Ainda assim, é interessante conhecer melhor como os ciclos de mercado funcionam e como ele pode lhe auxiliar nos seus investimentos.

Como funcionam esses ciclos?

Para compreender o funcionamento desses ciclos, é preciso destacar que diversos fatores podem contribuir para o seu início, manutenção ou encerramento. E como o mercado é cíclico, esses ciclos retornam de tempos em tempos.

Além disso, o medo e a ganância são os dois principais sentimentos que influenciam no comportamento do investidor e, consequentemente, no ciclo do mercado. Já a mudança do ciclo observa 3 fases: pessimismo, ceticismo e otimismo.

Quando a economia está em crise e há um pessimismo acerca do mercado, muitos retiram seu capital da bolsa em busca de opções mais seguras. Diante desses cenários, os preços das ações caem. Assim, o mercado entra no chamado “bear market” (mercado do urso/ciclo de baixa).

Nos períodos em que não há certeza sobre o futuro econômico, quando as projeções não são muito ruins e nem muito boas, é comum o investidor ficar de fora do mercado (ceticismo). Então o mercado fica lateralizado e não sobe e nem desce.

Já nos momentos em que a economia vai bem e há um grande otimismo por parte dos investidores, eles voltam a investir na bolsa — resultando no aumento dos preços das ações. Nesse caso, o mercado vivencia o “bull market” (mercado do touro/ ciclo de alta).

Por que entender os ciclos é importante?

Como você viu, os ciclos do mercado podem influenciar no emocional do investidor. Por isso, entendê-los é importante para evitar que você tome decisões equivocadas no momento de investir — reduzindo os riscos de perder dinheiro.

Por exemplo, uma das estratégias para ter lucros no mercado acionário é comprar barato e vender caro. Porém, diante de um comportamento puramente emocional, muitos aproveitam para realizar suas compras em mercados de alta, bem como suas vendas em mercado de baixa.

No entanto, para Benjamin Graham, autor do livro “O Investidor Inteligente”, a lógica do investidor deve ser invertida. Na sua visão, os ciclos de baixa são os momentos ideais para investir e os de alta para realizar os lucros (vender os papéis). 

Afinal, agindo dessa maneira você estará comprando no momento em que o mercado está barato, e vendendo quando ele estiver caro. Aliás, um dos maiores investidores do mundo, Warren Buffett, montou uma estratégia seguindo os ensinamentos de Graham. 

E uma de suas frases mais conhecidas e que representa esse conceito é: “tenha medo quando todos estão gananciosos e seja ganancioso quando todos tiverem medo”. 

Portanto, ao entender os ciclos de mercado você saberá se é o momento ideal para comprar e vender seus ativos, conforme a sua estratégia.

Quais cuidados adotar ao analisar esses ciclos?

Ao chegar até aqui, você já sabe que aguardar por ciclos de mercado específicos para adquirir e desfazer seus ativos pode ser uma estratégia lucrativa. Contudo, o ponto de atenção está no fato de que nem sempre será possível antever o momento de reversão de um ciclo.

É possível você se deparar com períodos em que se tenha a impressão de que uma correção representa o final de um ciclo. Mesmo porque, como você aprendeu, dificilmente o preço segue uma linha reta.

Contudo, o fato de um ativo estar bastante valorizado não significa que ele atingiu seu preço máximo (topo) — podendo seguir em alta. O mesmo se aplica a uma ação muito desvalorizada, que pode não estar no seu ponto mais baixo (fundo). Então é possível que continue em baixa.

A dica, então, é não tentar adivinhar topos e fundos. Afinal, ao fazer isso você se expõe a riscos maiores. Outro cuidado é fazer análises em tempos gráficos maiores. No curto prazo, a volatilidade é maior e os gráficos podem adotar um comportamento errático.

Por outro lado, em períodos gráficos mais espaçados, o direcionamento do mercado tende a ser mais perceptível e as análises mais acertadas. Contudo, evite utilizar esse único indicador para tomar suas decisões de investimento. Vale a pena fazer avaliações mais amplas para embasar suas decisões. 

No mercado de ações é comum a utilização da análise técnica e da análise fundamentalista para aumentar a precisão das escolhas, dependendo da sua estratégia. Além disso, é essencial avaliar se o seu perfil de investidor e objetivos financeiros se alinham às alternativas analisadas.

Conclusão

Conseguiu entender como os ciclos de mercado podem lhe ajudar no momento de fazer um investimento? De toda a forma, se precisar de esclarecimentos adicionais, conte com o suporte de uma assessoria de investimentos qualificada.

Quer conferir outros conteúdos como este? Inscreva-se em nosso Facebook e YouTube!

Ver todos os artigos