Logo Up4 Invest Logo XP Investimentos
menu

Atendimento
por telefone

19 3835-0814

07
Feb

6 Instrumentos para sucessão patrimonial que você deve conhecer

6 Instrumentos para sucessão patrimonial que você deve conhecer

O planejamento é uma parte importante da vida financeira e pode auxiliá-lo a consolidar seu patrimônio. Além disso, ter um bom plano é igualmente necessário para realizar a sucessão patrimonial, o que favorece a continuidade dos seus recursos nas próximas gerações. 

Nesse caso, vale a pena conhecer as ferramentas que podem ajudá-lo a organizar a transferência do patrimônio. Com base nas características que cada solução apresenta, você poderá selecionar o que for mais adequado aos seus objetivos de transmissão dos bens.

Quer saber mais? Então continue lendo para descobrir quais são 6 ferramentas para fazer a sucessão patrimonial e como cada uma pode ser útil!

O que é sucessão patrimonial?

A sucessão patrimonial consiste na transferência de bens e direitos de uma pessoa para seus herdeiros ou beneficiários. É comum que ela aconteça após o falecimento — mas, como você verá, também pode ser feita em vida.

O planejamento referente à sucessão patrimonial, por sua vez, serve para determinar quais são os instrumentos que podem ser úteis na transferência. Dessa forma, é possível garantir que a transmissão dos bens ocorra de acordo com os seus interesses.

Quais são os 6 instrumentos que ajudam na sucessão patrimonial?

Agora que você sabe o que é a sucessão patrimonial, vale a pena notar que existem diversas ferramentas regulamentadas que podem auxiliar no processo. Após conhecê-las, você pode selecionar o que fizer mais sentido para a sua composição de patrimônio e seus objetivos.

Na sequência, descubra quais são 6 recursos e processos que você pode utilizar para fazer a sucessão do patrimônio!

1. Doação

Para realizar a transferência de bens ainda em vida, é possível efetuar a doação de patrimônio. É o caso de passar bens imóveis para o nome dos herdeiros.

Nessa situação, é permitido doar até 50% dos bens para os beneficiários escolhidos. No entanto, ao menos 50% do patrimônio deverá ser preservado para os herdeiros necessários, como filhos e cônjuge.

É preciso ter atenção com a cobrança de impostos na doação. Ao passar bens imóveis para o nome de um beneficiário, por exemplo, existe o Imposto sobre Transferência de Bens Imóveis (ITBI). Com isso, vale ponderar quais são os custos associados a todo o processo para entender se ele é viável. 

2. Testamento

Outra ferramenta bastante conhecida no planejamento sucessório é o testamento. Esse é um documento que serve para registrar os desejos quanto à distribuição de patrimônio após o falecimento.

Sua utilização é importante porque, se ele não existir, todos os bens serão doados seguindo a ordem legal em relação aos herdeiros necessários. Com a documentação, por outro lado, é possível dispor parte dos recursos para outras pessoas — sempre observando os limites da legislação.

3. Seguro de vida

O seguro de vida também pode ser utilizado como instrumento de sucessão patrimonial porque ele não faz parte do inventário. Logo, após o falecimento, há como acionar a cobertura e receber o valor sem precisar passar por todo o processo burocrático para a partilha do patrimônio.

Ademais, ele tem como vantagem a possibilidade de definir beneficiários livremente, sem obrigações em relação aos herdeiros legais.

4. Previdência Privada

A Previdência Privada é um tipo de investimento voltado para o longo prazo. Nessa alternativa, o funcionamento se divide em duas partes: a fase de acumulação e a fase de resgate.

No primeiro momento, o investidor faz aportes frequentes para acumular capital. Esses recursos são movimentados pela administradora, que aloca em investimentos com maior ou menor risco, a depender dos detalhes do plano. Ao longo do tempo, também há a incidência de juros compostos. 

Com a consolidação do patrimônio, inicia-se a fase de resgate. Ele pode ser feito em parcelas (vitalícias ou não) ou de uma só vez. Em termos de sucessão, a Previdência Privada também não faz parte do inventário e permite a escolha de beneficiários, caso deseje.

5. Holding familiar

O planejamento de sucessão está igualmente relacionado à proteção patrimonial — e uma das maneiras de fazer isso é pela criação de uma holding familiar. Ela atua como uma empresa para centralizar todo o patrimônio da família, operando pagamentos e controlando os recursos.

Por ser uma pessoa jurídica, a holding tem regras diferentes quanto à sucessão, o que pode facilitar o planejamento e a execução desse processo. Também é uma forma de reduzir, legalmente, o pagamento de impostos, favorecendo a gestão patrimonial.

6. Fundos exclusivos

Para investidores com R$ 10 milhões ou mais de capital, é possível criar e participar de fundos exclusivos. Com os recursos aportados, um gestor profissional realiza operações com base na estratégia de investimentos acordadas.

Desse modo, é possível fazer o patrimônio evoluir, o que ajuda a garantir mais segurança e continuidade. Além disso, facilita a sucessão patrimonial, já que permite a cessão de cotas em vida, por exemplo.

Outro ponto positivo do fundo exclusivo é a praticidade que ele oferece, pois as decisões são de responsabilidade de um gestor qualificado. Assim, é possível reforçar o patrimônio sem ter que executar as operações por conta própria.

Como planejar a sucessão de patrimônio?

Para garantir que a transmissão de bens e direitos aconteça do modo esperado, não basta conhecer as ferramentas disponíveis. É preciso criar um planejamento sucessório, que começa pelo levantamento do patrimônio e pela definição dos herdeiros.

A partir disso, pode-se determinar o percentual que será destinado a cada um. Para tanto, defina quais serão as soluções adotadas, já que as ferramentas apresentadas podem ser utilizadas em conjunto.

Para facilitar a avaliação e a elaboração do plano para o processo de sucessão, vale a pena buscar ajuda profissional. Entre as alternativas, uma assessoria de investimentos pode trazer conhecimentos relevantes sobre os investimentos e a criação de fundos exclusivos. 

Assim, os assessores poderão apresentar as oportunidades disponíveis no mercado financeiro para você identificar as mais adequadas ao seu caso. Com o apoio de profissionais do setor, você terá mais facilidade para definir como agir para concretizar os objetivos.

Como você viu, a sucessão patrimonial pode ser feita com apoio de das 6 ferramentas apresentadas. Para definir o que faz mais sentido para a sua realidade, vale a pena buscar orientação qualificada. Assim, seu patrimônio pode ficar mais protegido e preparado para uma futura transmissão.

Gostou de conhecer essas alternativas e quer saber mais sobre as alternativas de investimento do mercado? Entre em contato conosco da UP4 Invest e veja como nossa equipe pode ajudá-lo!

Ver todos os artigos